Seção

Perigos na rede

Perigos na rede

Reportagem Raquel Ferreira
Jornal Gazeta Digital – Cuiabá/MT, 2008-07-20

Não é raro escutarmos casos de pessoas que aliciam menores, divulgam fotos, tentam seduzir os mais jovens usando a internet. As crianças e adolescentes não são o único alvo de pessoas mal intencionadas, mas acabam sendo mais facilmente enganadas.

O psicólogo Márcio Roberto Regis afirma que esse é um aspecto extremamente importante do qual muitas pessoas ainda não se deram conta. “Observo que muitos pais permitem (ou não sabem) que seus filhos menores de 18 anos entrem em sites de relacionamento, participarem de comunidades, exporem informações pessoais e familiares em perfis na internet e isso facilita um jovem ou uma criança seja abordada por aliciadores. Esses podem entrar com perfis falsos, conquistar a confiança do jovem e marcar de se encontrar no presencial”.

Mais uma vez o especialista garante que cabe aos pais orientarem seus filhos para que não forneçam informações confidenciais, ou melhor ainda: que nem tenham perfis em sites de relacionamento e exponham imagens pessoais.

Regis lembra que a internet não é um local seguro, em especial os sites de relacionamentos. Para evitar possíveis problemas à família e aos jovens a melhor saída seria não ter perfis nesses sites, o que não é tão simples assim para os jovens. Afinal, ninguém quer ficar de fora das fofocas da turma.

“Caso não seja possível e o jovem queira fazer um perfil nesses sites, o ideal é não expor dados pessoais, escola aonde estuda, evitar fotos de carro da família, fachada da casa ou prédio, evitar comunidades de escola aonde estudou ou estuda, CEP, cidade… evitar conversas por scrap e principalmente adicionar pessoas da qual você não conheça e desconfiar das quais já conhece, e jamais marcar encontros com amigos que conheceu na internet sem avisar os pais”.

O especialista comenta que caso exista um interesse muito grande em marcar um encontro com o amigo virtual, o melhor local é numa praça de alimentação de shopping, num lugar movimentado. (RF)

Fonte: Raquel Ferreira | Reporter do Jornal Gazeta Digital de Cuiabá/MT.
Entrevista publicada originalmente no Jornal Gazeta Digital no dia 20 julho 2008.

Top